Digital facility management Facility Management Facility Manager Facility service Facility services Inovação Inovação digital Limpeza Comercial e Residêncial Proptech Proptech Brasil Tendencias

A Terceira Onda TECH no Real Estate!

Mais de US $ 5 bilhões foram investidos em tecnologia imobiliária em 2017. O setor tem um forte impulso, e de acordo com o Matt Harris da Bain CapitalVentures, estamos entrando na terceira onda de tecnologia imobiliária:

“As empresas que definem a terceira onda se parecem mais com as empresas da primeira fase — mais complementares do que competitivas, utilizando novas capacidades tecnológicas. Esta fase provavelmente incluirá empresas que alavancam sensores (IoT) e realidade virtual para criar espaços mais inteligentes, “machine learning” para padronizar informações sobre dados e plataformas inteligentes para gerenciar serviços de forma mais eficientes, além de projetar, gerenciar e equipar espaços físicos de trabalho.”

A primeira fase foi a fase complementar (sendo a tecnologia o complemento para os negócios de serviços imobiliários tradicionais). As empresas tecnológicas como Autodesk e Yadi foram estabelecidas na década de 1980 e CoStar chegou logo depois. Esses serviços eram serviços corporativos fechados, construídos para atender aos mercados imobiliários comerciais e residenciais. Então, Zillow e Trulia tornaram-se os jogadores dominantes no setor doméstico residencial.

Após a fase complementar, surgiu a “fase desafiadora”. Os dois maiores inovadores na gestão de espaços inovaram criando mais valor no local, alterando seu uso normal ou permitindo que ele seja usado para diferentes durações:

Airbnb: um caminho para as pessoas rentabilizar seus espaços pessoais WeWork: um caminho para os desenvolvedores e proprietários monetizar seus espaços comerciais

As empresas nesta fase são intensivas em capital e contam com efeitos de rede. Eles também são uma ameaça direta para os operadores históricos (Airbnb para hotéis, WeWork para empresas de gerenciamento de escritório como Regus). E a história ainda não está encerrado nesta fase. Nós ainda não vimos os vencedores emergir em subsectores-chave do setor imobiliário, como gerenciamento de propriedades e corretagem comercial (a Reonomy é uma empresa que poderia potencialmente possuir o espaço de dados do CRE).

Agora, estamos entrando em uma “fase de síntese” em que as principais startups serão complementares dos vencedores da fase challenger (Airbnb, WeWork, Redfin, Compass, OpenDoor, Compass, etc.) A próxima onda de startups criará produtos para impulsar esses sub-sectores:

  1. IoT e visualização espacial para empresas de facility management ou property management
  2. Plataformas para gerenciar serviços e compras (como a eQ! para escritórios)

     3. Big Data para Real Estate

Em outras palavras, as pessoas serão cada vez mais informadas sobre como elas constroem, onde constroem e como os espaços são utilizados. O “machine learning” permitirá que os novos operadores utilizem os dados dos operadores históricos de formas inovadoras. E as startups capacitarão os consumidores a personalizar e alcançar uma ampla gama de provedores de serviços através de plataformas fáceis de usar que agregam fornecedores de produtos e serviços qualificados e avaliados.

Quer saber mais sobre Inovação em Real Estate e Property Management? Da uma olhada n essa matéria no blog da eQ!

Autor: Martin Romero – CEO e Fundador da eQ!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s