Empresa de Limpeza Comercial Empresa de Limpeza de Escritórios Empresa de Limpeza de Sala Comercial Empresa de limpeza e conservação Faxina pos obra Limpeza comercial Limpeza Comercial e Residêncial Limpeza de escritórios limpeza de sala comercial Limpeza e Organização da Empresa Limpeza loja de shopping Limpeza pós obra Limpeza pós reforma Limpeza terceirizada

Limpeza pós-obra: como garantir um serviço bom?

Após o término de uma obra, há uma série de cuidados a serem observados para garantir que as novas instalações estejam prontas para a utilização. A limpeza do ambiente, por exemplo, é uma etapa crucial — dada a quantidade de detritos, sujeira e equipamentos que podem ser acumulados durante a execução da obra.

Contudo, esse tipo de trabalho nem sempre é simples de ser realizado. Muitas vezes, há sujeiras mais pesadas, locais de difícil acesso — como a parte externa de janelas — e a necessidade de cuidados específicos, como com pisos mais sensíveis e paredes já pintadas. Tudo isso demanda uma limpeza pós obra especializada, feita por empresas que dispõem de técnicas adequadas, pessoal capacitado e equipamentos seguros.

Então, você precisa realizar a limpeza nas suas instalações? Mas qual é a diferença entre uma limpeza pesada e uma pós obra? Saiba que algumas medidas são necessárias para garantir a durabilidade e a boa estética do ambiente. Continue lendo e confira algumas delas!

Equipamentos e produtos corretos

Um dos cuidados mais importantes a ser observado durante a limpeza pós obra de um ambiente é a correta utilização de equipamentos e produtos. Sabemos que, nessas horas, não é raro encontrar sujeiras, manchas e resíduos típicos de obras e que são bem difíceis de serem removidos, especialmente quando não se utiliza os produtos e equipamentos adequados.

Por exemplo, as manchas de tinta que respingam no piso devem ser removidas com métodos próprios, como a utilização de solventes e outros produtos químicos. Porém, nem sempre é fácil realizar esse procedimento, pois dependendo do piso e dos revestimentos utilizados no ambiente, determinadas substâncias podem danificar permanentemente o acabamento.

Desse modo, de nada adianta o piso estar livre de manchas de tintas, mas danificado pelo uso equivocado de produtos. Por isso, antes de proceder à limpeza das instalações, é importante se certificar sobre o que pode ou não ser empregado no local.

Remoção de sujeira: cuidado!

Como reflexo do tópico anterior, a limpeza pós obra também deve ser feita com o máximo de cuidado quando os colaboradores se deparam com sujeiras mais pesadas.

É certo que, mesmo com todo o cuidado na etapa de realização da obra, alguns resíduos são inevitáveis — como os respingos de tinta, gesso, pó, rejunte, argamassa, entre outros. Cada um desses tipos demanda uma forma distinta de remoção, a considerar sempre o local em que estão depositados.

Quando resíduos de argamassa secam, por exemplo, as manchas se aderem às superfícies e são bem difíceis de remover. Nesse caso, o uso da força é inevitável — e é aí que está o problema. Quando essa força é empregada de maneira inadequada e com equipamentos incorretos, a probabilidade de riscar o piso ou uma bancada de granito, por exemplo, é bem grande.

A limpeza de alguns itens de cozinha e banheiro também demandam cuidados específicos — a exemplo de torneiras e reservatórios de inox e outros metais. Determinados produtos químicos podem acabar com o brilho desse tipo de superfície ou acelerar o processo de oxidação, dando o aspecto de velho em pouco tempo.

No mesmo sentido, ambientes revestidos de madeira merecem um trato diferenciado. A madeira é um material complexo e que não reage muito bem a líquidos e outros solventes. Por isso, ao realizar a limpeza desse material, é essencial evitar produtos abrasivos e rígidos, pois podem danificá-lo facilmente.

Segurança

Outro ponto que merece destaque na hora da limpeza pós obra é a observância de medidas de segurança. Em muitos casos, há a necessidade de processos mais complexos e, inevitavelmente, mais arriscados. A exemplo da limpeza de fachadas e vidraçarias mais altas, que expõe o profissional a uma série de perigos.

Neste contexto, é de fundamental importância observar todas as regras de segurança para garantir não só a qualidade do trabalho, mas a integridade daqueles que o realizam. O uso de EPI (equipamento de proteção individual), por exemplo, deve fazer parte da rotina dos funcionários e corresponder à necessidade de cada tarefa.

Como dito, processos mais complexos exigem um nível de segurança mais elevado e, por conseguinte, equipamentos próprios — tando de limpeza quanto de segurança. O trabalho em grandes alturas, por exemplo, demanda a utilização de cintos de segurança, apoio com cordas e escadas específicas para cada necessidade. No entanto, vale lembrar que nem sempre quem resolve fazer a limpeza por conta própria dispõe desses equipamentos, o que gera graves riscos à segurança.

Por outro lado, equipamentos simples, como luvas, botas e máscaras, embora pareçam desnecessários para grande parte das pessoas, não devem ser negligenciados. As máscaras e luvas evitam o contato e a inalação de produtos químicos, assim como as botas reduzem os riscos de escorregões em superfícies úmidas.

Desse modo, o ideal é certificar-se de que todos os cuidados estão sendo tomados na execução da limpeza, assim como garantir que os equipamentos estejam sendo utilizados corretamente.

Apoio Profissional

Diante de tudo que vimos até então, fica claro que o processo de limpeza pós obra exige algumas medidas e expedientes específicos para garantir a segurança e a qualidade do trabalho. Contudo, nem sempre é possível empregar todos eles quando se opta por realizar a limpeza por conta própria.

Desse modo, o mais recomendado nessa hora é recorrer ao apoio profissional de empresas especializadas nesse tipo de serviço. Essas companhias possuem toda a técnica, pessoal e aparato necessários para realizar a limpeza de maneira apropriada.

Ao optar pela contração desse serviço, os riscos de acidentes e danos à estrutura reduzem consideravelmente, pois todo o zelo e nível técnico são aplicados em cada tipo de sujidade, tornando o processo mais ágil e eficiente.

Além disso, os custos do serviço diluem-se em meios aos benefícios de se contratar uma empresa especializada. Afinal, ao fazer a limpeza por conta própria, você também teria gastos com produtos — muitas vezes desnecessários e inadequados —, aluguel de equipamentos e eventual reparação de danos. Tudo isso deve ser considerado na conta!

É importante considerar que a limpeza pós obra irá evolver as seguintes tarefas:

  • Limpeza Pós-obra – Resíduo de obra / rejuntes / cimento / louças sanitárias;
  • Remoção de Epóxi – Resíduo de epóxi;
  • Remoção de Silicone superficial – Resíduo superficial;
  • Remoção de Riscos superficiais (sobre o piso);
  • Remoção de Ferrugem – Manchas de ferrugem no piso, ou qualquer parte;
  • Remoção de colas , etiquetas e adesivos em todo tipo de superfície (vidros, blindex, eletrodomésticos);
  • Remoção de Tinta Acrílica – Tinta acrílica;
  • Remoção de outros tipos de tinta – esmatada, spray, etc.

Por fim, com o trabalho de quem tem experiência no assunto, a limpeza fica ainda mais simples e proveitosa, pois é realizada da maneira correta.

orçamento-de-site-no-ipiranga-1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: